Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Março > União autoriza a venda de 35 imóveis em quatro estados

Economia

União autoriza a venda de 35 imóveis em quatro estados

PATRIMÔNIO DA UNIÃO

Arrecadação total com alienações de terrenos e prédios em Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Paraíba pode chegar a R$ 7 milhões
por publicado: 02/03/2020 09h29 última modificação: 02/03/2020 12h32

O governo federal, por intermédio da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia (SPU/ME), autorizou nesta segunda-feira (2/3) a comercialização de 35 imóveis, na modalidade de concorrência pública. A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), nas Portarias nº 5.639 e 5.640, de 27 de fevereiro de 2020. 

Acesse as portarias de venda dos imóveis nos quatro estados

“Estamos dando destinação a ativos que se encontram em situação de abandono ou que não tenham utilidade para o funcionamento dos órgãos da administração pública”, afirma o secretário da SPU, Fernando Bispo. De acordo com ele, as vendas atendem à atual política de governo de enxugar o Estado e também contribuem para diminuir gastos públicos e aumentar arrecadação.

Do total de ativos liberados para a venda nesta segunda-feira, 30 são terrenos, todos localizados em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Existem também dois prédios e um terreno em João Pessoa, na Paraíba, uma casa no município de Engenheiro Paulo de Frontin, no Rio de Janeiro, e um prédio no município de Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo. A expectativa é de que sejam arrecadados R$ 7 milhões com a venda dos imóveis.

Imóveis em Brasília

 Também foi publicada no DOU desta segunda-feira (2) a homologação de licitação realizada em Brasília, onde duas casas localizadas na QL 12 do Lago Sul, área conhecida como Península dos Ministros, foram vendidas. O valor total arrecadado com a venda das residências ultrapassa R$ 18 milhões. Uma terceira casa localizada na QI 13 do Lago Sul também foi disponibilizada para venda, mas a concorrência pública não obteve procura. Caso seja colocada à venda mais uma vez e ainda não haja sucesso, o imóvel pode seguir para venda direta com 25% de desconto.