Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Fevereiro > Ministério da Economia abre procedimento para implantar TáxiGov em Santa Catarina

Economia

Ministério da Economia abre procedimento para implantar TáxiGov em Santa Catarina

GESTÃO

Serviço será contratado por 12 meses nos órgãos públicos localizados em Florianópolis e na região metropolitana
por publicado: 21/02/2020 07h10 última modificação: 26/02/2020 15h11

O Ministério da Economia publicou, nesta sexta-feira (21/2), a Intenção de Registro de Preços (IRP) nº 01/2020, para a contratação de serviço de transporte administrativo de servidores públicos em Florianópolis e região metropolitana. Os órgãos públicos e entidades que terão funcionários e colaboradores atendidos pelo serviço deverão lançar suas demandas até 10 de março.  Acesse as orientações e o termo de referência.

A IRP permite a contratação de serviços de táxi, de transporte individual de passageiros ou de transporte por locação de veículos, com área de atuação em Santa Catarina. O contrato terá duração de 12 meses. Entre as exigências do contrato está a de que os carros tenham quatro portas, ar-condicionado e monitoramento via aplicativo com GPS.

Economia

O TáxiGov começou a funcionar em 2017 no Distrito Federal, onde atualmente 50 órgãos e entidades utilizam a ferramenta, gerando uma economia total de R$ 22,9 milhões. No Rio de Janeiro, o serviço começou em outubro de 2019 e 11 órgãos e entidades já assinaram contrato com o governo federal. Até julho, mais 40 instituições públicas federais presentes no estado devem aderir ao uso da ferramenta. A estimativa de economia para 2020 com a medida é de, pelo menos, R$ 13,6 milhões para os órgãos localizados no RJ.

Em São Paulo, os órgãos e entidades começaram a utilizar o TáxiGov em dezembro de 2019. A economia prevista ao final do ano, após todas as instituições assinarem seus contratos, é de 61,5%, o que equivale a R$ 5,4 milhões.

Novas adesões

A expectativa é de que, ainda neste primeiro semestre, o modelo esteja implantado em Florianópolis, Belo Horizonte e Cuiabá. Até outubro, Salvador, Natal e Porto Alegre também estarão utilizando o serviço.

A adoção do TáxiGov também possibilitou o leilão de 137 veículos que deixaram de ser utilizados pelos órgãos da administração pública. A venda desses carros resultou numa arrecadação de R$ 1,9 milhão.

“Outro ganho do TáxiGov está relacionado à simplificação da gestão pública. Mais de 60 contratos de transporte terrestre de servidores e colaboradores foram encerrados com a adoção do modelo”, destacou o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert.

Outra vantagem do serviço é a qualidade do atendimento. Além de permitir que o usuário solicite uma corrida por meio de aplicativo, o tempo de atendimento é 22% menor em relação aos modelos de transporte anteriores.