Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > Maio > Secretário aponta serviços públicos digitais como solução para crise fiscal que o Brasil enfrenta

Economia

Secretário aponta serviços públicos digitais como solução para crise fiscal que o Brasil enfrenta

Transformação digital

Para Paulo Uebel, o cidadão merece um governo calcado nas melhores práticas internacionais
por publicado: 22/05/2019 14h00 última modificação: 22/05/2019 16h32

"A transformação digital vai ser decisiva para o futuro do Brasil". Em sua análise, o secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel, foi direto ao ponto. Ele falou na abertura do painel sobre a agenda para a transformação digital do país no 63° Painel Telebrasil, nesta quarta-feira (22/5).

Segundo o secretário, uma política pública sem dados, sem evidência, é “baseada em achismos". Para ele, é a tecnologia que vai ajudar a preencher essa lacuna e, assim, gerar mais benefícios para a sociedade.

Uebel defendeu ainda que os cidadãos brasileiros merecem um governo calcado nas melhores práticas internacionais. "Vamos buscar as melhores práticas do mundo, dos países que deram certo, que seguiram uma estratégia de governo digital bem-sucedida.  Vamos copiar aquilo que deu certo, adaptando para a realidade do Brasil", disse.

Paulo Uebel participa do Painel Telebrasil. Foto: Brisa Queiroz/ ME
Paulo Uebel participa do Painel Telebrasil. Foto: Brisa Queiroz/ ME

O Painel Telebrasil 2019 está sendo realizado de terça a quinta-feira (21 a 23), em Brasília, reunindo governo, empresas, formuladores de políticas, reguladores e investidores do universo das tecnologias da informação e das comunicações.

Solução

O secretário-adjunto de Governo Digital, Ciro Avelino que participou do painel "Políticas públicas e estratégias para as Cidades Inteligentes", na tarde desta terça-feira (21/5), explicou que uma grande solução para a crise fiscal que o Brasil enfrenta é a qualificação da oferta de serviços públicos a partir da transformação digital.

Na visão do governo federal, contou o secretário-adjunto, não se trata simplesmente da aplicação massiva e intensiva da tecnologia na prestação de serviços públicos. “É começar a observar as necessidades de uma sociedade que já é digital, já tem o costume de se relacionar entre si de forma digital e tem essa expectativa do governo", definiu.